Produtos

  

O que é Mel?

img_produtos_mel

MEL - O Néctar dos Deuses


A maioria das grandes civilizações primitivas considerava o Mel e a abelha sagrados.

Na mitologia grega, o Mel era considerado o néctar dos deuses e conta que Zeus, maior dos deuses, foi alimentado com Mel e leite de cabra. E o seu bisneto Aristeu foi o inventor da apicultura.

Aristóteles (384a.C.~322a.C.) proclamava poeticamente:

“O Mel cai do céu, principalmente durante o nascimento das estrelas e quando o arco-íris descansa sobre a terra" (século IV a.C.).

Aristóteles que foi um grande filósofo e naturalista também era conhecido como um grande pesquisador de abelhas e já, nesta época, tinha o conhecimento de que as abelhas recolhiam o néctar das flores e armazenavam em favos para amadurecer o Mel.

Por dezenas de milhares de anos, o Mel foi praticamente o único produto doce usado pelo homem em sua alimentação, de alto valor nutritivo, além de apresentar inúmeras propriedades medicinais.

A verdade é que o Mel não ficou restrito apenas ao gosto e ao uso dos deuses.


A fonte de vitalidade e energia


O Mel é um alimento natural líquido viscoso e adocicado produzido pelas abelhas melíferas a partir do néctar recolhido de flores e processado pelas enzimas digestivas desses insetos, sendo armazenado em favos em suas colmeias para servir-lhes de alimento durante o inverno.

Além de ser utilizado como adoçante natural, o Mel sempre foi reconhecido como sendo um alimento terapêutico devido às inúmeras substâncias contidas que possuem propriedades excepcionais.

De um modo geral, o Mel é constituído, na sua maior parte (cerca de 75%) por açúcares naturais (frutose e glicose), os quais são fontes de energia. O Mel é também composto por água (cerca de 17%), por vitaminas B1, B2, B6, C, D e E, os quais são responsáveis pela transformação dos nutrientes em energia) e por sais minerais essenciais à saúde como cálcio, cobre, ferro, magnésio, fósforo, potássio, entre outros. Além disso, o Mel é composto por cerca de metade dos aminoácidos existentes, por enzimas como glucose e oxidase, por ácidos orgânicos como ácido acético, ácido cítrico, entre outros e ainda contém um teor considerável de antioxidantes como flavonoides e fenólicos.

Até hoje, já foram identificadas mais de 180 substâncias diferentes no Mel natural, sendo que algumas delas não existem em nenhum outro alimento.

Existem razões especiais que fazem do Mel um alimento excepcional.

A principal delas é o trabalho que as abelhas fazem transformando e dividindo a sacarose contida no néctar das flores em açúcares simples como a frutose e glicose. Ou seja, como o Mel é um alimento pré-digerido pelas abelhas, onde os açúcares simples (frutose e glicose) por possuírem estrutura molecular simples não são necessários passar por um processo de inversão no aparelho digestivo, assim como ocorre com o açúcar de cana-de-açúcar, é assimilado em pouco tempo pelo organismo entrando rapidamente na corrente sanguínea, sem causar desgaste ao aparelho digestivo e sem deixar resíduo.

Depois de consumido, o tempo de absorção é de aproximadamente 20 minutos, enquanto que o açúcar demora de 2 a 4 horas. Pela
img_produtos_mel_tabelaSubstancia
sua rápida assimilação e recomposição dos nutrientes, o Mel permite um melhor rendimento físico, principalmente aos desportistas e aos idosos. O Mel consumido diariamente, preserva a saúde e é uma fonte de energia para o cérebro. Além disso, o mel facilita a assimilação e digestão de outros alimentos, principalmente a assimilação do cálcio em crianças e a retenção de magnésio.


Como o Mel é feito


O Mel é produzido a partir do néctar que a abelha sorve das flores. Por meio da ação de enzimas, ele é transformado e reguritado. As chamadas abelhas coletoras transportam esse líquido para outras abelhas, as quais estão à espera dentro da colmeia.

Na colmeia, o néctar passa de abelha a abelha e vai sendo novamente digerido e regurgitado, ficando cada vez mais desidratado, até chegar ao ponto de ter no máximo 20% de água.

Depois o Mel é armazenado em favos lacrados com fina camada de cera e maturado por cerca de quatro dias. O resultado desse trabalho todo é um produto com frutose, glicose, sacarose, proteínas, água, vitaminas, sais minerais e muitas outras substâncias.

A partir da maturação, o Mel está pronto tanto para o consumo da própria abelha quanto para o do ser humano. Mas antes de chegar à mesa do consumidor, o Mel produzido pela MN Própolis é processado para remoção das impurezas e sua qualidade analisada para garantir total segurança e o melhor das propriedades que o Mel tem a oferecer.


Variedades do Mel


Existem dezenas de variedades de Mel de abelhas que variam de acordo com as espécies florais que forneceram o néctar e conforme as técnicas de preparação do Mel. Dessa forma variam em cor, aroma e sabor. Outra característica marcante em alguns Méis é a consistência líquida ou endurecida que poderá apresentar quando armazenado em recipiente, sendo de igual qualidade sob esse aspecto. No que diz respeito a origem botânica (néctar), pode provir da seguinte forma:


Mel monofloral
É quando o Mel é produzido a partir do néctar de uma única espécie floral, como por exemplo o Mel de eucapliptos, de laranjeira, de marmeleiro, de vassoura, de angico, de cipó-uva, de guamirim, de canudo de pito e muitas outras plantas.
Certamente não há Mel rigorosamente monofloral, entretanto a presença de outro néctar em pequena quantidade não influi apreciavelmente no seu aroma, cor e sabor.


Mel polifloral (silvestre)
É quando o Mel é produzido de néctar coletado de diversas flores de origens florais diferentes.


A Cristalização do Mel


Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, a maioria dos Méis puros, genuínos, acaba se cristalizando (açucarando) com o tempo.

O Mel contém pequenas partículas de pólen não visíveis ao olho nu. Dependendo da sua florada, em 1g de Mel pode conter 1.600 ~ 25.000 pólens de tamanhos inferiores a 40 microns. A maior parte das cristalizações dos Méis ocorre pela separação da glicose que é menos solúvel em água do que a frutose e a glicose segregada endurece ao redor dos envólucros dos pólens. Portanto, a cristalização é a garantida de que o Mel é puro e natural. A probabilidade da cristalização do Mel aumenta quanto maior o teor de nutrientes dos pólens e também quanto maior porcentagem de glicose no Mel. E esta tendência se acentua sob baixas temperaturas. Portanto, como há variação da porcentagem de glicose em função do tipo de florada, o Mel pode ser facilmente cristalizável ou demorar para se cristalizar.


img_produtos_mel_tipos

O importante é que o Mel tanto em estado líquido como no estado cristalizado são absolutamente iguais em termos de propriedades energéticas e nutritivas, não tendo diferença entre um e outro.

Quando o Mel cristaliza não há variação no seu sabor e nutrientes.

Desde que o Mel seja genuinamente puro e natural, cedo ou tarde irá se cristalizar. O Mel cristalizado fica cremoso e delicioso, podendo ser apreciado o seu verdadeiro sabor, aroma e fragrância passando-se em pão, torradas ou biscoitos.


Forma de descristalizar o Mel


img_produtos_mel_descritalizar

Preparar uma tigela de aço inox de tamanho suficiente para caber o frasco de mel e adicionar água quente (aproximadamente à 45°C). Retirar a tampa do frasco do mel e colocar dentro da tigela com água quente.

Misturar o Mel cristalizado de modo que derreta. Tomar cuidado para não superaquecer o Mel, pois há risco de peder as suas propriedades.

Caso a temperatura abaixe, colocar a tigela com o frasco de Mel dentro de uma panela e aquecer lentamente.

Atenção: O aquecimento excessivo do Mel seja por temperatura muito alta ou por tempo prolongado, pode causar perdas das suas propriedades nutritivas além de tornar-se mais escuro devido a modificação dos açúcares contidos.

Outra forma de descristalizar o Mel é expondo o frasco de mel ao sol durante o tempo necessário.


Topo